Art Déco inspira cenografia do Festival de Cinema de Gramado

Quem tem passado pela frente do Palácio dos Festivais agora no período do Festival de Cinema de Gramado se surpreende com a beleza do cenário ali instalado. Fomos atrás da informação e descobrimos que a inspiração veio do movimento Art Déco – surgido em 1910 e com auge de 1920 a 1930.

Festival de Cinema - Edison Vara/Press Photo
44º Festival de Cinema de Gramado – Palácio dos Festivais – Foto: Edison Vara/Press Photo

E é para esta época dos século 20 que a cenografia transporta quem passa pelo Tapete Vermelho na Rua Coberta. Os tons dourados, amarelos e marrons ganham espaço na fachada do Palácio dos Festivais.

Festival de Cinema - Edison Vara
44º Festival de Cinema de Gramado – Palácio dos Festivais – Foto: Edison Vara/Press Photo

Mas certamente é o Kikito em cima de um portal que remete a uma juke-box é a grande atração. A referência faz alusão à importância da música para a Sétima Arte. O projeto cenográfico é assinado pela arquiteta Daniela Corso.

Quer mais dicas de passeios em Gramado e Serra Gaúcha? Preenche o formulário abaixo que te ajudo!

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Não perca a badalação no Tapete Vermelho do Festival de Cinema

Quando chega a semana do Festival de Cinema de Gramado, dezenas de artistas aterrissam na cidade para participar do evento. E muitos visitantes escolhem esse período para vir à Serra Gaúcha. De fato, o glamour toma conta das ruas e não é difícil topar com alguma estrela da TV e do cinema por aqui.

Festival de Cinema de Gramado - Crédito Cleiton Thiele/PressPhoto
Festival de Cinema de Gramado – Palácio dos Festivais. Foto: Cleiton Thiele/PressPhoto

Mas é a noite que o evento brilha ainda mais. Tudo por conta do Tapete Vermelho estendido na Rua Coberta. É por ele que passam as celebridades que participam do Festival de Cinema de Gramado. Charmosa por conta própria, a Rua Coberta fica ainda mais interessante durante o evento. Ali se reúnem fãs de todas as idades em busca de selfies e autógrafos de seus artistas favoritos!

Já confirmaram presença em Gramado: Sonia Braga, Tony Ramos, José Mojica Marins (o Zé do Caixão) e a atriz argentina Cecilia Roth – ambos serão homenageados por esta edição. Também estão confirmados Sophie Charlotte, Caio Blat, Andréia Horta, Carolina Dieckmann, Humberto Carrão, Maeve Jinkings e Allan Souza Lima, além do diretor Kleber Mendonça Filho (do filme O Som ao Redor).

Ahhh, preste atenção na trilha sonora durante a passagem dos artistas pelo Tapete Vermelho. Cada um deles terá uma música especial.

Quer mais algumas dicas? Preenche o formulário aqui embaixo que te ajudo!

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Novo atrativo: Museu do Festival de Cinema de Gramado

Nesta semana inicia o 44º Festival de Cinema de Gramado. Como sempre o evento vai movimentar a cidade em torno da Sétima Arte. Milhares de turistas chegam a Gramado em busca dos famosos que aqui aterrissam para os dias do evento. Uma das novidades deste ano será lançada no próximo dia 26 de agosto e promete ser mais uma das atrações turísticas do município. É o Museu do Festival de Cinema de Gramado.

É neste espaço que ficará registrada a história e a trajetória de mais de quatro décadas da arte cinematográfica no país.

Museu do Festival de Cinema de Gramado - Foto João Inácio de Souza

O museu é interativo e ficará coladinho ao Palácio dos Festivais – templo do evento cinematográfico em Gramado. O Museu terá capacidade para recepcionar 2.800 pessoas diariamente e oferecerá um vista panorâmica para o centro da cidade, com direito a cafeteria e loja de souvenirs.

O projeto do Museu do Festival de Cinema de Gramado foi desenvolvido pela Secretaria de Turismo com o propósito de criar um equipamento turístico e cultural para o município, além de um espaço para a discussão do cinema. Os embaixadores do museu  são as atrizes Zezé Motta e Maitê Proença e o ator Lima Duarte.

O horário de funcionamento será das 11h às 21h, diariamente. E os ingressos custam R$ 20,00 em dias úteis e R$ 30,00 aos finais de semana e feriados.

Quer mais dicas do que fazer em Gramado? Preenche o formulário que te ajudo!

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Expectativa de neve em Gramado neste fim de semana

o,A possibilidade de nevar em Gramado está causando muita expectativa nos visitantes que estarão pela cidade neste fim de semana. Os sites de previsão do tempo vêm dando como certa a precipitação no domingo (21/08). O Climatempo aponta que deverá nevar sobre áreas das Serras Gaúcha e Catarinense. E a chance de nevar várias vezes durante o dia, desde a madrugada do domingo é muito grande.

Neve em 2013 - Crédito Cleiton Thiele/SerraPress
Neve em 2013 – Igreja Matriz São Pedro

Em Gramado, ainda que bem pouquinho e durante a madrugada, nevou no dia 17 de julho de 2016. Por aqui todo mundo com os dedos cruzados e pedindo aos céus que a neve venha mesma e em abundância!

Quer dicas do que fazer em Gramado nos dias gelados do inverno? É só preencher o formulário aqui em baixo!

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Vinícolas da região para quem aprecia vinhos finos e premiados

Vinícolas da região para quem aprecia vinhos finos e premiados

A imigração italiana fincou fundo suas raízes na Serra Gaúcha. Ainda bem! Com ela chegou o cultivo de uva viníferas e a produção de vinhos. E com o tempo, as famílias foram aperfeiçoando o trabalho e produzindo vinhos de melhor qualidade. Assim surgiram então as primeiras vinícolas.

vineyard with ripe grapes in countryside at sunset

Aqui em Gramado e Canela também contamos com empresas engajadas em produzir vinhos, espumantes e sucos de categoria internacional, inclusive premiados no Brasil e fora dele. Quem curte apreciar ótimos vinhos e espumantes tem que conhecê-las.

 Jolimont – essa vinícola é a mais antiga em atividade. Idealizada por um francês estabelecido na região em 1948, a Jolimont é uma das pioneiras no Estado na produção de vinhos finos e artesanais e a quantidade produzida por safra é limitada. A vitivinícola está localizada em Canela, em uma região rural de paisagens incríveis – o Morro Calçado.

As visitas devem ser agendadas e estas são diferenciadas, de acordo com o objetivo do visitante. Tudo vai depender do grau de envolvimento que você busca, o tempo que dispõe e o aprendizado e experiência que deseja. O melhor de tudo é quando ao final do passeio você tem a chance de conhecer os vinhos produzidos pela Jolimont.

A Jolimont não cobra taxas de visita e degustação. O agendamento deve ser feito apenas por grupos com mais de 20 pessoas. A vinícola abre diariamente das 9h às 17h, inclusive em feriados.

Tintos: cabernet sauvignon, tannat, merlot. | Brancos: moscato. | Espumantes: brut e moscatel (ambas premiadas com medalha de ouro no concurso Vinus na Argentina)

 Ravanello – Foi em 2005 que Normélio Ravanello iniciou a Vinícola Ravanello em Gramado. Os 2,4 hectares de vinhedos estão localizados junto à vinícola, na localidade de Linha Carazal (bem em frente ao Snowland), em encostas a cerca de 800 metros de altitude. A Ravanello conta também com um espaço para eventos sociais.

Com uma construção que lembra o casario da Toscana na Itália, o local é cenário para fotos incríveis durante uma visita. Aliás, as visitas devem tem horários: 10h, 11h, 14h, 15h e 16h, de segunda a sábado apenas. Domingos não abre e em feriados é bom consultar. O custo da visitação mais a degustação de três vinhos é de R$ 25,00.

Tintos: Cabernet sauvignon, tannat, merlot, pinot noir, teroldego. | Brancos: Chardonnay. | Espumantes: brut, extra brut e moscatel.

Casa Seganfredo – De início a propriedade da família Seganfredo era apenas para lazer e descanso quando esses deixavam à Capital, Porto Alegre. Com o tempo, a descendência italiana apontou um caminho para que aproveitassem melhor suas terras na localidade de Belvedere em Gramado. E foi aí que veio o projeto da vinícola, com vinho produzido apenas com uvas cultivadas na propriedade. O empreendimento familiar tem uma atividade realizada em pequena escala e meticulosa.

Visitas devem ser agendadas pelo telefone (51) 9966.0518. A taxa de degustação é de R$ 30,00, mas em caso de adquirir produtos da vinícola, não é cobrada.

Tintos: cabernet sauvingon, merlot, monte pulciano. | Brancos: espumante tradicional brut branco e rosè. | Suco de uva tinto. Toda a produção vem de uvas plantadas na propriedade.

Ficou curioso para conhecer as vinícolas? Possa te dar mais dicas. Preenche o formulário que te ajudo!

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Cervejarias artesanais para conhecer em Gramado e Canela

Quando você pensa em Gramado a primeira coisa que lhe vem à cabeça é o frio, tenho certeza. A segunda deve ser o Natal Luz e a terceira a gastronomia. E é justamente aí que se encaixa esse post.

Aqui na região houve um boom de cervejarias artesanais nos últimos 10 anos. Graças a Deus! E digo isso porque gosto muito de cerveja. Mas não desta cerveja bastantão vendida nos mercados. Gosto de bebidas mais encorpadas, com um diferencial em sua preparação. E eis que por aqui temos a sorte de ter diversas empresas dedicadas à fabricação da bebida que é preferência nacional.

Rota Cervejeira

E as cervejarias locais tem conquistado o público com suas criações. Restaurantes, bares e hotéis passaram a oferecer em seus cardápios. Bom, mas chega de papo e vamos as dicas:

Ambarina Bier – A Ambarina Bier & Beer escolheu esse nome em homenagem a cor da cerveja. Seu objetivo é apresentar receitas com muita qualidade. A fábrica pode ser visitada e os rótulos produzidos, degustados no local. Cervejas produzidas: Lager, Hefe Weisse e Pale Ale.

Farol – A Cervejaria do Farol foi a primeira a dar o pontapé para a produção de cervejas artesanais na região. Situada em Canela, a cervejaria é reconhecida por sua torre, de onde é possível admirar a vista da cidade até onde os olhos alcançam. A produção da cerveja utiliza somente quatro elementos na sua fabricação: a água, o malte, o lúpulo e levedura. Cervejas produzidas: Weiss Bier, Pilsen Bier, Doppel Bock, além de edições sazonais e comemorativas.

Gram Bier – A apesar de contar com equipamentos com tecnologia para produção de cervejas, a Gram Bier é sim uma cervejaria artesanal, já que boa parte do processo é feita de forma manual. A supervisão do mestre cervejeiro garante a qualidade das bebidas produzidas pela empresa. Cervejas produzidas: German Hefeweizen, American Ipa, Belgian Blond Ale, Porter, além de cervejas sasonais.

Incomun – Acredito que a mais artesanal das cervejas de Gramado seja a Incomun, produzida na Linha Marcondes. São doze estilos de cerveja, uma delas leva semente de abobora em sua formulação, outra delas é feita com trigo e mel. Cervejas produzidas: B01 – Abóbora, B02 – Beterraba, B03 – Mel, B04 – Laranja e Limão,         B05 – Suco de Cevada (Pilsen), B06 – Açúcar Mascavo, B07 – Café, B08 – Chocolate, B09 – Abóbora Doce, B10 – Trigo, B11 – Trigo com Mel e B12 – Trigo Escura.

Cerveja Incomum

Rasen Bier – Acredito que a Rasen seja a maior cervejaria de Gramado, mas não por isso ela deixe se ter uma produção ainda artesanal. Encontrada em boa parte dos restaurantes da região, já caiu no gosto dos moradores e dos visitantes. Cervejas produzidas: Pilsen, Dunkel, Ambar, Weizen. Em setembro, em comemoração a Semana Farroupilha, lançam a cerveja Bagual.

MF Taberna – Por último deixei a MF Taberna, para mim o melhor lugar para conhecer e consumir cervejas artesanais em Gramado. O sistema adotado pela casa possibilita que você participe de um menu degustação. Prepare-se para provar sabores com os quais nunca se quer sonhos. Se não estiver a fim do menu degustação, você pode ir escolhendo algumas das cervejas do cardápio. São dezenas delas, muitas produzidas pelo Pito – proprietário da MF Taberna. Vá com tempo e disposição. E não se preocupe se bater a fome. O cardápio de comidas é bem variado, os pratos são deliciosos e muito bem servidos!

Aqui em Gramado tem um tour que se chama Rota Cervejeira e que faz a visita a algumas destas empresas. Quer saber como faz para participar? É só preencher o formulário aqui em baixo que te ajudo.

[contact-form-7 404 "Not Found"]